6 de setembro de 2011

Atravessamos agostos que parecem eternos e, nos setembros, suspiramos quase leves outra vez: Meu Deus, passou.

Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário