30 de junho de 2011

Não há muito o que entender, há o que sentir.


Não há muito o que explicar, não há muito para esquecer.
Mas há o suficiente para lembrar e desejar, e sentir saudades.
E querer mais e mais... Querer a certeza de te ter aqui comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário